A antiga Casa do Largo do Rosário, hoje, abriga a Casa da Cultura, inaugurada em 1984, para desenvolver atividades culturais e resgatar a integridade histórica da população de Santa Bárbara. O espaço foi criado por meio de um convênio entre a Prefeitura Municipal e a Fundação Nacional Pró-Memória, através do Grupo de Museus e Casas Históricas de Minas Gerais. A edificação, que já foi sede da agência dos Correios e Telégrafos, destaca-se como modelo da arquitetura monumental do influente período do ouro nas Minas gerais do século XVIII.

Um pouco sobre a história da Casa da Cultura

A casa teve como primeiro morador o padre Lucindo de Souza Coutinho, parente próximo do Barão de Cocais. O padre tornou-se célebre como exímio pianista em seu piano de cauda, no qual tocava todas as tardes e era ouvido pelos que passavam pela praça. Um dos imóveis em melhor estado de conservação do Centro Histórico, o casarão compõe, juntamente com a prefeitura e outra residência, um núcleo remanescente do período colonial.

A estrutura da Casa da Cultura

A construção, com estrutura em madeira e paredes de pau a pique, está situada na Praça Joaquim Aleixo, antigo Largo do Rosário. Instalada no alinhamento da rua, possui formato retangular e mantém um apêndice na parte posterior, reconstruído em alvenaria de tijolos. Há três salas dispostas na frente, dormitórios nas laterais, sala ampla nos fundos, duas circulações, dois cômodos pequenos ao centro e porão em alvenaria de pedra.

Tombado pelo Instituo do Patrimônio Histórico e Artísticos Nacional (Iphan) em 1954, a casa sofreu intervenções que causaram desfigurações parciais no interior e no entorno. No entanto, conserva os beirais e a porta idênticos aos da sede da prefeitura.

Chama atenção a simetria da fachada principal, marcada pela carpintaria artística da portada central, da vedação almofadada com bandeira fixa, e a composição de seis janelas – três de cada lado – com vedação em caixilho de vidro do tipo guilhotina e enquadramento em madeira.

Pelos fundos corre uma varanda em toda a sua extensão, de onde se obtém a vista da Serra de Catas Altas e da Casa do Mirante, outro monumento arquitetônico do Centro Histórico. No interior da antiga residência, é possível observar forros em gamela apainelada e piso em tabuado largo.

Por sua riqueza arquitetônica, cultural e histórica, além da proteção federal, a edificação passou a ser também resguardada como Patrimônio Cultural, quando foi tombada pela Prefeitura Municipal de Santa Bárbara pelo Decreto nº 1.376, de 13 de abril de 2006.

Entre 2016 e 2017, o imóvel foi completamente restaurado pela Prefeitura de Santa Bárbara, em parceria com o Ministério Público do Estado de Minas Gerais, através da Promotoria de Defesa do Patrimônio Cultural e Turístico de Minas Gerais.

Confira abaixo algumas fotos da Casa da Cultura

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here