A antiga muralha de pedra seca

O aqueduto Bicame de Pedra foi construído por escravos no final do século XVIII para transportar a água da Serra do Caraça até Brumado, onde se lavava o ouro. Hoje é considerado uma das 21 maravilhas da Estrada Real e um dos patrimônios históricos mais importantes de Catas Altas.

O Bicame de Pedra é composto por uma muralha de pedra seca, tendo a parte mais alta 5,10 metros de altura. Restaram apenas 200 metros da construção original. Há uma escadaria na lateral do aqueduto que concede o acesso à parte superior do atrativo, possibilitando uma visão ampla do Bicame.

No centro da muralha, há ainda um portal com a inscrição da data de construção: 1792.

Para chegar ao Bicame de Pedra, é necessário passar por uma estrada de terra que, inclusive, é bem conservada.

O Bicame de Pedra é um passeio quase obrigatório para todos os turistas que viajam pela região da Serra do Caraça.

Segundo historiadores, as pedras usadas na construção da muralha eram trazidas da Serra do Caraça no ombro de animais.

Um pouco da História de Catas Altas

A origem do município não é bem definida, pois não há muitos registros da época de sua fundação. O povoado que viria a ser a cidade séculos depois surgiu no final do século XVII, quando as minas de ouro foram descobertas na região. A princípio, o arraial inicial foi fundado por Domingos Borges, em 1703.

Arquitetada com a corrida do ouro do século XVIII, Catas Altas recebeu esse nome devido ao garimpo. “Catas” é um tipo de escavação para mineração. Como as minas mais ricas estavam no alto da serra, cada vez mais distante do leito do rio, as pessoas começaram a identificar esses locais de mineração como “catas altas”.

Catas Altas foi um povoado muito próspero, um dos mais ricos de Minas Gerais durante o ciclo do ouro. Porém, o esgotamento das minas provocou o abandono do local, que já não conseguia produzir sua própria subsistência, dependendo dos tropeiros para tanto.

A situação só mudou em 1868, com a chegada do novo vigário, o Monsenhor Manuel Mendes Pereira de Vasconcelos. O Monsenhor percebeu que as ações assistencialistas oferecidas aos mineiros durante a exploração haviam acomodado os habitantes da região, que passaram a receber tudo e não produzir nada.

O vigário começou, então, a ensinar o povo a vida em comunidade e a agricultura de subsistência. Ele mostrou aos moradores como plantar videiras, cultivá-las, como colhê-las e transformá-las em vinho.

A produção e qualidade do vinho foram aumentando, e o padre ficou conhecido nacionalmente. O vinho de Minas Gerais saiu do anonimato e caiu nas graças de muitos entendidos do produto, que o compararam ao vinho do Porto.

O vinho foi o estopim para o desenvolvimento do povoado. Enquanto alguns habitantes dedicavam-se à plantação de vinhas, outros fabricavam a bebida e outros ainda cuidavam do comércio.

No século XIX, a população de Catas Altas produzia, ainda, um vinho de jabuticaba, de sabor diferenciado, visto que, até então, as jabuticabas eram utilizadas tradicionalmente para licor.

Atualmente, o município se mantém com a mineração de ferro e com o turismo, com economia estabelecida e boa qualidade de vida. Catas Altas é composta de quatro bairros, um distrito e nove comunidades rurais.

Como chegar no Bicame de Pedra

O Bicame está localizado cerca de 12 quilômetros do município de Catas Altas e o acesso a ele se dá pela rodovia MG-129.

  • Partindo de Catas Altas, percorrer 8km pela MG-129, sentido Santa Bárbara, e 4 Km de terra pela Estrada do Bicame.

Confira algumas fotos do Bicame de Pedra em Catas Altas MG:

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here